Boa fé: Comerciante pode aproveitar crédito de nota fiscal posteriormente inidônea


A juíza Gabriela Muller Carioba Attanasio, da Vara da Fazenda Pública de São Carlos (SP), anulou um auto de infração e imposição de multa de uma empresa de reciclagem por suposta dívida de ICMS. A magistrada entendeu que é lícito ao comerciante de boa-fé aproveitar os créditos de ICMS decorrentes de nota fiscal posteriormente declarada inidônea, quando demonstrada a veracidade da compra e venda. No caso analisado, o Fisco considerou…
X
- Insira Sua Localização -
- or -
Compartilhe
Pular para a barra de ferramentas