Imposição arbitrária de glosa pelo Fisco do Ágio por rentabilidade futura (Goodwill), em alienação de participação societária, mas corrigida em julgamento no CARF

No artigo de hoje, vamos abordar mais uma pérola a eletrizar as muitas controvérsias contábeis e tributárias em operações de reorganização societária, perpetradas pelo fisco. Foi exigido que houvesse lucros em valores semelhantes ao montante pago pelo ágio de rentabilidade futura (goodwill) na aquisição de participação societária. Ainda bem que o CARF barrou a pretensão. No julgado recente que resultou no Acórdão CARF nº 1302-005.823 – 1ª Seção de Julgamento/3ª…
Foto de perfil
Contador pela PUC-Campinas (1989) e Mestre em Ciências Sociais pela Escola de Sociologia e Política de S. Paulo - Instituição Complementar da USP (1980). Especialista em Direito Tributário pela Escola de Direito de S. Paulo - FGV/SP (2020). Professor de Contabilidade e Economia da PUC-Campinas (1975-2009). É Contador e Sócio Diretor de Escritório Taquaral Contabilidade, em Campinas - SP. Foi Conselheiro Efetivo do CRC/SP (2002-2005).
X
- Insira Sua Localização -
- or -
Compartilhe
Pular para a barra de ferramentas